Tailândia, Vietnã e Camboja: precisa de visto?

Estátua de Buda nas ruínas de Ayuthaya, Tailândia

Estátua de Buda nas ruínas de Ayuthaya, Tailândia

O sudeste asiático é um destino distante do Brasil (literalmente). Ainda assim, cada vez mais brasileiros têm procurado conhecer aquele canto do mundo. Em minha recente viagem para a Tailândia, o Camboja e o Vietnã, encontrei poucos brasileiros, é verdade. De todo modo, como o número de países que exigem visto do Brasil é cada vez menor, surge a dúvida a respeito da necessidade de se obter um para viajar até esses países.

Tailândia

Para a Tailândia, não é necessário obter visto prévio para viagens a turismo. Na entrada, foi-me concedida autorização de permanência de três meses no país. O guia do Lonely Planet que eu usei para planejar minha viagem diz que a autorização costuma ser de 30 dias. Entretanto, de acordo com fontes diplomáticas que eu consultei, o Brasil faz parte de um seleto grupo de países que têm autorização de permanência de até 90 dias na Tailândia. Ponto para nós!

Controle sanitário no aeroporto de Bangkok

Controle sanitário no aeroporto de Bangkok

Por outro lado, visitantes de alguns países (entre eles o Brasil) precisam comprovar que têm vacina contra febre-amarela ANTES de entrar na fila da imigração. Depois que você sair do avião e entrar no aeroporto propriamente dito vai ver alguns guichês onde está escrito “Health Control” (veja a foto). Vá até um deles, preencha um formulário que é fornecido ali mesmo e o funcionário, depois de olhar seu cartão de vacinação, lançará um carimbo com a autorização sanitária. Só depois disso você deve entrar na fila da imigração. Se você entrar sem o carimbo da autoridade sanitária, vai perder tempo, pois eles vão te mandar voltar lá.

Lembrando que o cartão de vacinação que deve ser apresentado é aquele internacional, obtido nos postos da ANVISA dos aeroportos. Além disso, esse cartão costuma ser verificado pela companhia aérea já aqui no Brasil quando o destino final é a Tailândia (o nosso foi consultado pela Turkish Airlines quando fizemos o check in em São Paulo). Antes do pouso, são distribuídos os formulários da imigração e da alfândega que precisam ser preenchidos e entregues para as autoridades no aeroporto.

Vietnã

Visto vietnamita

Visto vietnamita

Já para o Vietnã, é necessário o visto para brasileiros. Há duas formas de obtê-lo. A primeira é direto na Embaixada, que fica em Brasília, no bairro do Lago Sul (endereço aqui). Para quem mora em Brasília, o procedimento é bem tranquilo. Basta ir até a Embaixada em horário comercial com os documentos que constam neste link, incluindo um formulário preenchido, que está disponível no link também.  O valor da taxa que eu paguei, em janeiro de 2013, foi de R$ 90,00, para visto de 15 dias e uma entrada. Os dados da conta para depósito do valor (uma conta do Banco do Brasil) podem ser obtidos pelo e-mail que consta no link indicado acima. Deixa-se o passaporte lá e uma semana depois ele já está disponível com o visto.

Portão no antigo palácio imperial de Hue, Vietnã

Portão no antigo palácio imperial de Hue, Vietnã

Para quem não mora em Brasília, é possível mandar tudo por Sedex para a Embaixada. Contudo, acho que a forma mais fácil é tentar obter o visto na chegada no Vietnã. Quando desembarquei em Hanoi, logo vi um guichê para solicitação do visto (visa, em inglês). É necessário, porém, obter previamente uma espécie de carta de aprovação, que é enviada por e-mail. Imprima e leve com você para apresentação no momento da entrada, além de uma foto 3×4. Os detalhes podem ser obtidos pelo mesmo e-mail que consta do link mencionado. Encontrei um casal de brasileiros num trem no Vietnã que tinha usado esta opção e disseram que foi bem tranquilo. A taxa paga, inclusive, parece ser mais barata que a que eu paguei na Embaixada em Brasília. Em todo caso, paga-se duas taxas diferentes: para obter a carta que é enviada por e-mail, e no momento da obtenção do visto no aeroporto.

Caso você tenha obtido o visto previamente no Brasil, basta seguir direto para a fila da imigração, sem precisar preencher formulário algum. A autorização de permanência, porém, respeita estritamente o período que você pedir no momento da solicitação do visto (no meu caso, por exemplo, foi exatamente de 15 dias; existem, porém, vistos de 30 e de 90 dias).

Camboja

Visto cambojano

Visto cambojano

Brasileiros também precisam de visto para entrar no Camboja, embora sua obtenção seja simples. Não há embaixada no Brasil, então a obtenção do visto se dá na chegada mesmo. No aeroporto de Siem Reap, logo depois do desembarque, há uma placa escrito “Visa”; não vá direto para a imigração, pois eles vão te mandar voltar. Primeiro paga-se a taxa de 20 dólares (valor pago em fevereiro de 2013). Pode-se pagar com notas maiores, eles dão o troco em dólar mesmo. Também é necessário apresentar uma foto 3×4 — então, fica a dica, providencie algumas fotos já no Brasil. No mesmo momento, o funcionário já pega seu passaporte e os formulários de imigração entregues no avião. Chega a ser engraçada a fila de funcionários por onde passa seu passaporte a partir de então (não tirei nenhuma foto porque fiquei com receio de ser proibido). De todo modo o trâmite é rápido, quase automático. No final da tal fila, eles vão gritar seu nome e você pode pegar seu passaporte, já com o selo colado. Preste atenção, porque a pronúncia do nome pode ser bem difícil de entender. Depois, é só ir até o guichê da imigração. Concederam-me autorização para permanência de 30 dias.

Ruínas do Angkor Wat, Siem Reap, Camboja

Ruínas do Angkor Wat, Siem Reap, Camboja

Para encerrar o texto, lembro que o Brasil possui embaixadas em Bangkok e em Hanoi. Qualquer problema, não hesite em contactá-las. Não temos embaixada no Camboja, mas a embaixada em Bangkok é responsável por lá também.